Sindinutrisp e CNTU recorrerão a justica contra O FGTS
Associados Sindinutrisp recorrerão a Justiça contra perdas no FGTS

As entidades da base da CNTU entrarão com ação em nome dos profissionais pleiteando a correção monetária do saldo das contas vinculadas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. Prejuízo desde 1999 soma 48%, segundo cálculos do DIEESE
04/10/2013
Beatriz Arruda/Seesp

Diretoria discute com assessoria jurídica ação por recuperação de perdas do FGTS
Os profissionais representados pelos sindicatos filiados a CNTU, diretamente ou por meio de suas federações, contarão com uma importante iniciativa para recuperar prejuízo financeiro e corrigir uma injustiça. Serão impetradas na Justiça Federal acoes contra a Caixa Econômica Federal (CEF) pleiteando o pagamento das perdas inflacionarias acumuladas no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) desde 1999. O ano marca o início da não aplicação da correção monetária ao saldo das contas vinculadas.

A decisão foi tomada em reunião de diretoria da CNTU realizada no dia 3 de outubro, em São Paulo, quando foi também firmada parceria com o escritório Alino & Roberto e Advogados, que se encarregara das medidas judiciais. De acordo com o advogado Claudio Santos, a iniciativa tem respaldo na Lei nº 8.036, de 11 de maio de 1990, que determinou que o FGTS tivesse juros anuais de 3%, mais correção monetária, o que vem sendo feito, conforme normatização do Banco Central (BC), pela Taxa Referencial de Juros. O problema é que, desde 1999, esse índice não acompanha a inflação. Segundo cálculos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-econômicos (Dieese), ate 2012, as perdas já somavam 48%.

Além disso, informou Santos, em três decisões relativas a Acoes Diretas de Inconstitucionalidade (Adins) o Supremo Tribunal Federal (STF) entendeu que a TR não serve como correção monetária. Embora essas sentenças digam repeito a outros assuntos, apontou ele, indicam tendencia de resultado positivo junto a Justiça.

Medidas práticas
As ações deverão ser impetradas pelo escritório em nome dos sindicatos, que serão substitutos processuais das respectivas categorias nas suas bases de atuação. Isso pode ser feito, ressaltou Santos, sem a necessidade de procurações individuais ou quaisquer outras medidas. Caso a entidade opte por representar apenas seus associados, e não todos os profissionais, será necessário realizar uma assembléia para deliberar tal encaminhamento.

Não haverá qualquer cobrança no início ou durante o decorrer do processo. Ao final, será cobrado, a título de honorários advocatícios, 20% sobre o valor a receber. Isso se mantém caso haja acordo com a CEF resultante da ação judicial proposta.

Perguntas e respostas

Quem tem direito a recomposição das perdas do FGTS?
Os trabalhadores que tiveram ou tenham algum saldo no Fundo, entre os anos de 1999 e 2013. Mesmo quem se aposentou ou sacou o fundo em algum momento desse período faz jus a correção referente a quando o recurso estava depositado na conta vinculada.

Quem ingressara com as ações?

Cada sindicato atuará como substituto processual dos profissionais que representa. As entidades podem decidir ingressar com as ações apenas em nome dos associados, o que deverá ser deliberado em assembléia da categoria. Nesse caso, para ser beneficiado pela ação o profissional deve entrar em contato com a entidade e se sindicalizar.

O que o profissional deve fazer para ser representado na ação?
Não é necessário tomar qualquer providencia inicialmente. Caso o sindicato tenha decidido ingressar com ação apenas em nome dos associados, sera preciso se filiar para ter direito.

Quais os documentos necessários para apresentação ao final do processo?
Cédula de Identidade, comprovante de endereço, PIS/PASEP (cópia da CTPS), extrato analítico do FGTS (disponível na Caixa Econômica Federal) e Carta de Concessão do Beneficio (no caso dos aposentados).

Qual será o custo para os profissionais?

Não haverá pagamento de qualquer valor inicial para integrar a ação. Serão pagos honorários advocatícios, ao final do processo (transitado em julgado), no valor de 20% sobre o valor a receber. Em caso de acordo resultante da ação esse percentual também incide sobre o montante.

Qual o valor a receber?

Os valores variam conforme o período em que o trabalhador possuiu valores depositados no FGTS. Cálculos indicam perdas de 48% entre 1999 e 2012.

Ao final da ação, o dinheiro poderá ser sacado?

Tudo vai depender de como a Justiça decidirá. Porém, o FGTS possui regras especificas para os saques. A tendência é que só possam sacar os recursos os trabalhadores que já adquiriram esse direito, como os demitidos sem justa causa e os aposentados. Em outros casos, a vitória na Justiça significará o aumento do valor do fundo, para quando o trabalhador puder sacá-lo. Esse valor será depositado, já descontados honorários advocatícios (20%).

Em caso de derrota na Justiça, existem custos a serem pagos pelos profissionais?

Caso a Justiça arbitre o pagamento das custas da parte vencedora, a obrigação será arcada pelo sindicato, que é o autor da ação.

SOMENTE NUTRICIONISTAS ASSOCIADOS DO SINESP PODERÃO INGRESSAR NESTA AÇÃO.

Caso tenha interesse, clique no e-mail financeiro@sindinutrisp.org.br, e envie este ao sindicato manifestando seu interesse. Posteriormente será enviado um documento(ficha de adesão) para preencher, assinar e devolver ao SINESP.

       
NUTRI NOTICIAS Nº 84
Edições Anteriores
NUTRI NOTICIAS Nº 83
NUTRI NOTICIAS Nº 82
NUTRI NOTICIAS Nº 81
NUTRI NOTÍCIAS Nº 80
ecoleo CVC
  INSTITUCIONAL JURIDICO CONTRIBUIÇÕES CURSOS BENEFÍCIOS +  
  Quem Somos Atendimento Associativas SINESP Convênios LINKS  
  Palavras do Presidente Piso Salarial Sindical Parceiros Hotéis / pousadas CONTATO  
  Diretoria Atual Tabela de Honorários Confederativa Pós-Graduação      
  Colaboradores Convenções/Disssídios Assistencial        
  Estatuto Homologações Dúvidas Frequentes        
  Conheça o SINESP            
  Sede São Paulo

Rua 24 de Maio, 104 - 8 andar - Centro - 01041-000
Fones: (11) 3337.5263 / 3338.2539
E-mail: sinesp@sindinutrisp.org.br
Horário de atendimento: 9hs às 17hs00 de 2ª à 6ª
 
2014 - Sindicato dos Nutricionistas do Estado de São Paulo
Desenvolvido por IZ3