Agrotóxicos: multas de 200 milhões financiarão projetos
O Ministério Público do Trabalho (MPT) está selecionando interessados em desenvolver estudos, preferencialmente na região metropolitana de Campinas (SP), voltados à pesquisa, prevenção e ao tratamento de trabalhadores vítimas de intoxicação, de adoecimento decorrente de desastres ambientais, exposição a substâncias tóxicas ou acidentes de trabalho que envolvam queimaduras. O MPT irá financiar os projetos escolhidos com um total de R$ 200 milhões.

As pessoas jurídicas de reconhecido saber, interessadas, devem apresentar projeto, atividade ou programa de investimento à Procuradoria Regional do Trabalho da 15ª Região, em Campinas, no endereço eletrônico prt15.sec1grau@mpt.gov.br , ou enviá-lo para a Rua Umbú, 291, Alphaville, Campinas, CEP 13098-325. Não há prazo para entrega dos projetos, mas o MPT recomenda que se envie o quanto antes, e recomenda que o projeto informe a verba necessária para sua execução.

O objetivo do MPT é destinar os R$ 200 milhões de multas pagas pelas empresas Raízen Combustíveis S.A (Shell) e Basf S.A aos projetos selecionados. Em 2013, as duas empresas firmaram acordo com o órgão, por ocasião do caso de contaminação de trabalhadores, no município de Paulínia, interior de São Paulo. O valor corresponde aos danos morais coletivos devidos pelas empresas.

Investigações realizadas durante anos apontaram a negligência das empresas com a proteção aos trabalhadores de uma fábrica produtora de agrotóxicos. A fábrica inicialmente da Shell e comprada posteriormente pela Basf ficou em atividade entre 1974 e 2002, em Paulínia. A indústria contaminou o solo e as águas subterrâneas com produtos químicos como aldrin, endrin e dieldrin, compostos de substâncias cancerígenas, às quais os trabalhadores foram expostos.

Uma ação foi movida em 2007, pelo MPT, em Campinas, resultou no acordo. Segundo o órgão, mais de 60 pessoas que trabalhavam na fábrica morreram desde o ajuizamento da ação. Além de dano moral coletivo, a Raízen e a Basf tiveram que pagar indenização por danos morais individuais e garantir atendimento médico vitalício a 1.058 vítimas, além de outras pessoas que comprovem a necessidade desse atendimento no futuro.

Fonte: Agência Brasil
Assessoria de Comunicação (61) 3411.3279 / 3483
www.presidencia.gov.br/consea ascom@consea.planalto.gov.br - Redes Sociais


       
NUTRI NOTICIAS Nº 84
Edições Anteriores
NUTRI NOTICIAS Nº 83
NUTRI NOTICIAS Nº 82
NUTRI NOTICIAS Nº 81
NUTRI NOTÍCIAS Nº 80
ecoleo CVC
  INSTITUCIONAL JURIDICO CONTRIBUIÇÕES CURSOS BENEFÍCIOS +  
  Quem Somos Atendimento Associativas SINESP Convênios LINKS  
  Palavras do Presidente Piso Salarial Sindical Parceiros Hotéis / pousadas CONTATO  
  Diretoria Atual Tabela de Honorários Confederativa Pós-Graduação      
  Colaboradores Convenções/Disssídios Assistencial        
  Estatuto Homologações Dúvidas Frequentes        
  Conheça o SINESP            
  Sede São Paulo

Rua 24 de Maio, 104 - 8 andar - Centro - 01041-000
Fones: (11) 3337.5263 / 3338.2539
E-mail: sinesp@sindinutrisp.org.br
Horário de atendimento: 9hs às 17hs00 de 2ª à 6ª
 
2014 - Sindicato dos Nutricionistas do Estado de São Paulo
Desenvolvido por IZ3